[TCC] Links QR Code

Abaixo estão listados os links apresentados em formato de QR Code ao longo do trabalho.

Link 1- p.36

www.wikipedia.org/wiki/Celebration,_Florida

 

Link 2 – p. 36

http://bbb.globo.com/noticias/fotos/2011/03/reveja-os-melhores-momentos-da-prova-do-lider-maquina-super-bonder.html

 

Link 3 – p.63

http://www.youtube.com/watch?v=ney32KEKyY0

 

Link 4 – p.64

http://www.youtube.com/watch?v=PpwIJmU-g_c

 

Link 5 p. 64

http://www.youtube.com/watch?v=QmhtTtI1hto

 

Link 6- p.65

http://www.youtube.com/watch?v=g8kpzfh27uc

junho 18, 2011 at 7:48 pm Deixe um comentário

Quem pensa a Web, faz a Web

Em dúvida do que fazer no vestibular? A graduação tradicional já não é o suficiente para suas ideias?
Comunicação Digital é um curso de graduação da Unisinos totalmente voltado para Internet e para formar um profissional que pensa e faz a Web.

A internet é indiscutivelmente a mídia que mais cresce, a mídia que atinge vários âmbitos de nossas vidas: social, profissional, pessoal. Então, o melhor para trabalhar com esse meio é justamente alguém que tenha o digital por formação.

Conheça o hotsite do curso feito pelos próprios alunos em apenas 3 dias.
Não perca a chance de se tornar o profissional do agora.

 

Curso de Comunicação Digital

novembro 14, 2009 at 8:17 pm 1 comentário

Culturas e identidades contemporâneas

Nas sociedades modernas as identidades são descentralizadas, deslocadas, fragmentadas. Existindo dois tipos de identidades: identidades sociais e identidades pessoais. Estamos em constante mudança e em contato freqüente com tipos de cultura totalmente diversificados.
Os meios de comunicação foram os principais responsáveis por essa ruptura de tradição. Possibilitam que as pessoas “abram a cabeça” para que o mundo tem a oferecer, para o que as pessoas tem a oferecer e para o que cada um quer consumir. O coletivo não foi substituído, a cultura e as tradições continuam a fazer parte da formação dos indivíduos, entretanto o individual começa a ganhar forças.

Continue Reading outubro 24, 2009 at 6:43 pm Deixe um comentário

Questionamentos sobre o Google

Navagando pela própria Web é possível perceber o posicionamento das pessoas perante a atuação do Google e a sua extensão. Alguns, como Camila manifesta em seu blog: “E, então, aparece o Google e todos os serviços que ele vem oferecendo. Cada vez mais úteis, mais abrangentes, mais necessários. Primeiro, sempre uso o São Google para resolver quase qualquer coisa. Preciso achar uma lei? Uma letra de música? Qual é mesmo o telefone daquela farmácia? Como faço pra imigrar pro Canadá? Converter medidas e moedas? Tradução de palavras? Qualquer coisa e São Google está lá para você. Hoje, eu diria que não é a internet que é imprescindível, mas o Google.”

Continue Reading setembro 4, 2009 at 1:42 am 1 comentário

“Brasileiro não sabe falar português/ Só em Portugal se fala bem português”

Marcos Bagno, escritor e lingüista, coloca posicionamentos críticos em relação a esse mito em seu livro “Preconceito Lingüístico” (1999). Diz que esta é uma opinião bastante difundida entre os portugueses e até mesmo entre a população brasileira que, em sua maioria, possui um complexo de inferioridade pela colonização de Portugal por tantos anos e hoje, continuar como um país subdesenvolvido.

Esta cultura está viciada a não valorizar o próprio país, ao contrário de outros exemplos em que o patriotismo faz parte da criação do povo. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas o que, nós como povo, fazemos é somente maximizar os negativos, esquecendo que o Brasil tem também questões fortes a serem destacas com orgulho.

Ao longo de seu discurso, o autor critica vários autores renomados, que em oposição a ele, aderem a estas posturas preconceituosas à língua falada no Brasil. Argumenta que é mais fácil taxar os brasileiros como um povo que não sabe falar a sua própria língua, do que realmente analisar os fatos que distanciam a língua mãe da língua realmente falada no país.

A compreensão entre ambos os países se dá, em nível maior, através da escrita, pois partimos da mesma gramática, apesar de apresentar preferências lingüísticas próprias. É possível identificar claramente as peculiaridades em que se expressam verbalmente os dois países.  Quando se aproximam, geralmente é pelo uso de adultos escolarizados que dominam a gramática da língua culta ou em situações formais.

Monteiro Lobato, em 1934 já dizia: “Uma língua não pára nunca. Evolui sempre, isto é, muda sempre. Há certos gramáticos que querem fazer a língua parar num certo ponto, e acham que é erro dizermos de modo diferente do que diziam os clássicos.”

O que se observa é que há uma relutância em admitir que no Brasil exista uma variação do português, chamado em muitos lugares de português brasileiro. Como prova, temos o “Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa”, que propõe uma escrita única para todos, além de facilitar a definição de critérios para exames e certificados para estrangeiros.

Entretanto, a língua portuguesa não ficará padronizada em sua totalidade, pois serão conservadas as pronúncias típicas de cada país, questão que mais os diferencia. A unificação das línguas tornaria a interação entre os países maior e mais prática, porém Brasil e Portugal estão muito distantes culturalmente, além de seus vocabulários serem distintos, impossibilitando uma unificação completa.

Como ressalta Bagno: “O brasileiro sabe o seu português, o português do Brasil, que é a língua materna de todos os que nasceram e vivem aqui, enquanto os portugueses sabem o português deles.” Os países devem sim se unir e trabalhar em conjunto por questões históricas, porém está claro que tomaram rumos diferentes e características próprias que se refletem na linguagem e que devem ser mantidas.

dezembro 30, 2008 at 1:03 pm 4 comentários

Google Android: o celular da Google

Relembrando uma apresentação feita para a cadeira de Elementos de T.I, juntamente com os colegas Daniel Bohn e Gisele Hammerschmitt.

dezembro 30, 2008 at 12:58 pm Deixe um comentário

O e-mail não é um telégrafo: NTIC e aprendizagens sociais

Comunicação é plural, não somente receptor e emissor. É multimodal. Todo receptor reage à mensagem, vive a inter-relação. A mensagem se transforma no caminho que percorre. Estamos constantemente em comunicação, mesmo que o receptor não seja alguém humano.
O estudo da comunicação deixa de ser somente exato, como no caso da matemática e passa a deslocar-se para o campo das Ciências Sociais, apoiado na reunião de diversas áreas do saber – antropologia, matemática, sociologia, lingüística, psiquiatria e outros. Existiu um modelo de pensamento delimitador que fracassou, pois a ciência foi estruturada, o conhecimento tornou-se disciplinar, individualizando por matérias. Esta idéia posteriormente fracassa, percebe-se que não é possível totalização. Sistemas necessitam de mistura para não serem extremamente limitados, é fundamental a confluência de várias áreas para resolver problemas, assim como a Escola de Palo Alto se posiciona.

Continue Reading dezembro 30, 2008 at 12:31 pm 1 comentário

Posts antigos


Categorias

junho 2017
S T Q Q S S D
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930